Secretarias

Superintendências

Orgãos

Imperatriz

O que reciclar e o que não reciclar

Sempre há dúvidas sobre quais materiais reciclar e quais não recilar.

Para melhorar o entendimento destas questões, listamos algumas explicações:

Papel: Papéis de escritório, papelão, caixas em geral, jornais, revistas, livros, listas telefônicas, cadernos, papel cartão, cartolinas, embalagens longa-vida, listas telefônicas e livros são recicláveis. Já o Papel carbono, celofane, papel vegetal, termofax, papéis encerados ou plastificados, papel higiênico, lenços de papel, guardanapos, fotografias, fitas ou etiquetas adesiva não são recicláveis. 

Plástico: Sacos, CDs, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, PET (como garrafas de refrigerante), canos, tubos e plásticos em geral são recicláveis. Já os plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos) e isopor não sáo recicláveis. 

Vidros: Garrafas de bebida, frascos em geral, potes de produtos alimentícios e copos, podem ser reutilizados e para isso são recicláveis. Os espelhos, cristais, vidros de janelas, vidros de automóveis, lâmpadas*, ampolas de medicamentos, cerâmicas, porcelanas, tubos de TV e de computadores são recicláveis e devem ser embalados e descartados em locais que encaminhem para a descontaminação.

Metais: As latas de alumínio (refrigerante, cerveja, suco), latas de produtos alimentícios (óleo, leite em pó, conservas), tampas de garrafa, embalagens metálicas de congelados e folha-de-flandres são recicláveis. Já os clips, grampos, esponjas de aço, tachinhas, pregos e canos são materiais não recicláveis.