Políticas públicas para a mulher

PREVENÇÃO

Prefeitura leva ação do Setembro Amarelo ao Parque Anhanguera

Principal objetivo é quebrar o tabu de falar sobre o suicídio e salvar vidas

Publicado em: 13/09/2022 por Kalyne Cunha

Secretaria de Políticas para Mulher

Prefeitura leva ação do Setembro Amarelo ao Parque Anhanguera

Temática abordou a importância do tema e os aspectos da violência doméstica e seu contexto familiar, como fatores que levam ao suicídio. (Foto: Assessoria)

Setembro Amarelo é conhecido como o mês da campanha de prevenção ao suicídio, e dentro dessa abordagem a Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria de Políticas para a Mulher (SMPM), abordou em palestra a temática sobre a importância e os aspectos da violência doméstica e seu contexto familiar, como fatores que levam ao suicídio. Ação foi realizada nesta terça-feira (13), no Centro de Ensino Professor Edinam Moraes, no Parque Anhanguera.

A secretária da SMPM, Eva Messias, relatou a relevância da rede municipal de enfrentamento da violência contra mulher e do tema trabalhado nas escolas, já que é o espaço onde crianças e adolescentes passam a maioria do dia. “É fundamental conscientizarmos sobre a prevenção do suicídio e criarmos uma rede de apoio sólida em torno dos jovens. A secretaria da mulher conta com a Casa Abrigo Doutora Ruth Noleto e o Centro de Referência à Mulher (CRAM)”.

Casa abrigo Doutora Ruth Noleto é um local sigiloso e acolhe mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, que estejam em risco imediato e funciona em tempo integral. O CRAM é um espaço destinado à prevenção e ao enfrentamento da violência contra mulher, por ações especializadas, oferecendo atendimento e acompanhamento psicológico e social realizado por equipe multidisciplinar.

A palestra direcionada aos alunos do terceiro ano da instituição, teve como palestrantes a psicóloga Danielle Ribeiro e a pedagoga, Jesiléia Silva, que expuseram os fatores de risco e ensinaram como identificá-los, além de apresentarem possíveis soluções para o problema como acompanhamento psicológico e psiquiátrico, exercícios físicos e mudanças de hábitos.

Políticas públicas para a mulher