Políticas públicas para a mulher

DIÁLOGO

Projeto Escola pelo Fim da Violência realiza ação com estudantes

Equipe da Secretaria de Políticas para Mulher levou informações para alunos e educadores da Escola Ipiranga

Publicado em: 23/06/2022 por Kalyne Cunha

Secretaria de Políticas para Mulher

Projeto Escola pelo Fim da Violência realiza ação com estudantes

Mais de 50 alunos foram contemplados com a palestra. (Foto: Assessoria)

Projeto Escola pelo Fim da Violência é uma iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria de Políticas para Mulher (SMPM) voltada para alunos e educadores da rede municipal de ensino, que contemplou na terça-feira (21), estudantes do 8º e 9º ano, da Escola Ipiranga. Projeto pretende conscientizar sobre a necessidade do combate à violência contra mulher embasado na Lei Maria da Penha.

A secretária da Mulher, Eva Messias, pontua a importância das ações voltadas ao projeto que trabalha na prevenção da violência doméstica e informa quais locais a população poderá encontrar ajuda, caso seja necessário.

“A educação continua sendo uma ferramenta eficiente na prevenção e combate à violência contra a mulher no ambiente doméstico e familiar, por isso entendemos que a escola tem a responsabilidade de auxiliar na desconstrução da violência de gênero. Para as pessoas que necessitam de ajuda, contamos com a rede de enfrentamento a violência contra mulher por meio do Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM) e Casa Abrigo Doutora Ruth Noleto”.  

Casa abrigo Dra. Ruth Noleto é um local sigiloso e acolhe mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, que estejam em risco imediato e funciona em tempo integral. O CRAM é um espaço destinado à prevenção e ao enfrentamento da violência contra mulher, por ações especializadas oferecendo atendimento e acompanhamento psicológico e social realizado por equipe multidisciplinar.

Mais de 50 alunos foram contemplados na palestra.
Temática incentiva prevenção da violência doméstica. (Foto: Divulgação)

A assistente social Crisleide Souza, palestrante do evento, enfatiza que “abordar essa temática com os jovens é importante, para conseguirem identificar os tipos de violência nas relações do cotidiano e sejam multiplicadores das informações”. A psicóloga Laryssa Araújo complementa que “o projeto possibilita prevenir situações de violência doméstica contra a mulher, por meio da informação e esclarecendo aos adolescentes que a violência de gênero pode acontecer com quaisquer mulheres, inclusive conhecidas ou da própria família”.

Popularmente conhecida como Lei Maria da Penha (11.340/2006), legislação se tornou o principal instrumento legal para coibir e punir a violência doméstica praticada contra as mulheres no Brasil com objetivo maior, proteger a família como um todo.

Denúncias

Para as mulheres que necessitam de auxílio, o atendimento presencial do CRAM está com nova sede localizada na rua Godofredo Viana, 484, Centro. Telefone e WhatsApp para contato é o (99) 99193-1717.

Políticas públicas para a mulher